Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 26 de dezembro de 2010

HISTORIOGRAFIA SERGIPANA

O SOCIAL NA HISTORIOGRAFIA SERGIPANA




Maria Thetis Nunes


Como acontece no país, em Sergipe também há o predomínio do interesse dos historiadores pela história política. A corrida pelo poder, os embates entre as autoridades representativas da metrópole nos tempos coloniais, as disputas pelos cargos, no executivo e no legislativo, entre os potentados da terra na época imperial, as lutas das oligarquias pelo comando político do Estado, através dos dois partidos rivais, ou melhor, das duas facções, (só assim poderiam ser considerados, desde quando não existia qualquer conotação ideológica diferenciando-os), e que se estenderam até mesmo após a Revolução de 1930, foram fatos que sempre impressionaram os historiadores, alguns sendo estudados minuciosamente.

Mas, geralmente, esqueceram esses estudiosos que, por trás das lutas pelo poder estavam as classes sociais, cujas características eram condicionadas pela estrutura econômica dominante.


domingo, 19 de dezembro de 2010

HOSPITAL DE ROSÁRIO DO CATETE


*Adailton Andrade





  Casa do padre Rocha, situada na rua pedra e cal, hoje esta mesma rua leva seu nome, no dia 15 de agosto de 1874 procedeu a eleição da diretoria que foi constituída deste modo:

O Hospital de Rosário do Catete foi inaugurado na década de 1930, mas sua primeira fundação que se chamava Casa de Caridade ou Associação Rosa Vieira de Melo foi criada em 6 de janeiro de 1874 através das idéias do Padre Luiz da Rocha Villar um homem de coração bom que dedicou sua vida em favor das pessoas pobres de Rosário do Catete, alem de padre, cuidava das chagas da alma, também cuida do corpo,


sábado, 23 de outubro de 2010

ELITE POLÍTICA EM ROSÁRIO DO CATETE-SE: UMA ANÁLISE DA TRAJETÓRIA DE LEANDRO MAYNARD MACIEL (1930 – 1975)

  LEANDRO MAYNARD MACIEL
                                                                                 Adailton Andrade 

  O presente texto objetiva analisar a formação e o estabelecimento de Leandro Maynard Maciel dentro de uma abordagem das elites no cenário político estadual e problematizar a importância do capital social articulado pelos políticos, as condições e as dinâmicas de utilização de competências na militância. O recorte temporal vai da década de 1930 a 1975. 0s procedimentos metodológicos resultam em análise de textos do módulo de Sociologia da Política, bem como de livros consultados nas bibliotecas da UFS e IHGS.  Tem sua relevância principal na busca de avaliar a sociedade a partir da observação do conceito de elite quanto a parentela, a riqueza, poder político e o capital social.
1. INTRODUÇÃO
Este estudo se caracteriza numa linha de pesquisa que aborda a formação de grupos dirigentes, chamados de elites, e a sua estruturação dentro dos espaços do poder, investigando um conjunto de fatores que apontam para mecanismos de recrutamento e seleção, estratégias de reprodução desse grupo, reconversão e legitimação acionados para ocupação nesses espaços, modo de vida e as modalidades de consagração social dos variados grupos sociais dominantes, como elites políticas, intelectuais, eclesiásticas, militares, burocrático-administrativas, entre outras.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

98 ANOS DA CASA DE SERGIPE





INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE SERGIPE


domingo, 1 de agosto de 2010

Praça de Sergipe é eleita patrimônio da humanidade pela Unesco



 
Praça São Francisco, em São Cristóvão (SE), tem mais de 400 anos.
Comitê da entidade da ONU realiza reunião em Brasília (DF).


A praça São Francisco, localizada na cidade de São Cristóvão, em Sergipe, foi eleita patrimônio cultural da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), órgão vinculado à Organização das Nações Unidas (ONU). A decisão, anunciada neste domingo (1) foi tomada em reunião do comitê de patrimônio mundial da humanidade da Unesco, que acontece em Brasília (DF) desde o dia 26 de julho.
 
A candidatura da praça para o posto foi aceita pela entidade em março de 2007. Desde então, foram analisadas as potencialidades do local e suas condições para figurar entre os patrimônios da humanidade.

A praça foi construída há mais de quatrocentos anos no município de São Cristóvão, que foi a primeira capital do estado de Sergipe. O local apresenta influências portuguesas e espanholas. Prédios como o palácio do período colonial e o convento de São Francisco continuam com praticamente a mesma feição de quando foram construídos. O local é palco de manifestações folclóricas e artísticas na cidade.


Segundo o Ministério da Cultura, a praça São Francisco é a 18ª localidade brasileira a figurar entre os patrimônios mundiais da Unesco.


PARABENS !


quinta-feira, 22 de julho de 2010

30 ANOS DE UMA EXPLOSÃO QUE TIROU O SONO DOS ARACAJUANOS



Adailton Andrade


Na noite de 13 de abril de 1980, num dia de domingo, já no virar da noite, um galpão clandestino de fabricação de fogos de artifício instalado nos fundos da casa do sub-tenente José Pedro, do Corpo de Bombeiros, explodiu. A partir deste dia, a então avenida Contiguiba, localizada no bairro Suiça, se transformou na avenida da "Explosão". Alguns moradores ainda lembra nos dias de hoje que parecia que o mundo ia se acabar, . Os efeitos da explosão atingiram um raio de quase 10 quilômetros, o que deixou 12 mortos e centenas de feridos.











PRAÇA HISTÓRICA DE SAO CRISTÓVÃO PATRIMÔNIO MUNDIAL

Praça histórica de Sergipe pode ser eleita patrimônio mundial em Brasília






PARIS, 22 Jul 2010 (AFP) -A Praça de São Francisco, na cidade histórica sergipana de São Cristóvão, poderá ser escolhida como um dos novos sítios naturais ou culturais classificados como patrimônio mundial da Unesco durante a sessão anual que será realizada na próxima semana em Brasília.



terça-feira, 13 de julho de 2010

BAIRRO 13 DE JULHO, DAS REVOLTAS AO BAIRRO DA QUALIDADE DE VIDA

*Adailton Andrade



O bairro Praia Formosa, hoje conhecido como 13 de Julho, durante alguns anos passou por profundas transformações urbanísticas desde a mudança da capital até os dias de hoje . Nesse sentido, o que se vê é a grande especulação imobiliária daquela área tornando o m² mais caro de Aracaju sendo um dos mais valorizados bairros de nossa capital.


domingo, 27 de junho de 2010

ERONIDES DE CARVALHO


UM GOVERNO VOLTADO PARA A SAÚDE PÚBLICA !



Prof. Milton Barboza da Silva
 Conferência Apresentada no Conselho Estadual de Cultura, por ocasião do Centenário de nascimento de Eronides de Carvalho ( 1897 - !997 )  Abril de 1997.





O centenário do nascimento de Eronides Ferreira de Carvalho,(1997) cuja passagem pelo cenário político sergipano registramos de 1935 à 1941, abre-nos a possibilidade para uma reflexão acerca da atuação do sujeito na história, em seu espaço social, econômico e político. Por isso, acreditamos ser essa uma oportunidade singular para trazermos algumas análises sobre o político Eronides de Carvalho; sobre a conjuntura de seu tempo, à qual esteve sintonizado, e, por vezes, perfeitamente ajustado, e as implicações de sua atuação nos períodos subsequentes.




quarta-feira, 2 de junho de 2010

HISTÓRIA DE SANTO AMARO DAS BROTAS


*Adailton Andrade


 A VIDA URBANA NA CAPITANIA DE SERGIPE DEL’REI (Sergipe Colonial)



É a mais famosa e rica de toda a capitania, escreveu em 1808 D. Marcos Antonio de Souza. Sua importância Adivinha de encontrar-se situada na Contiguiba, a principal região açucareira, onde os canaviais haviam iniciado a grande arrancada em terras sergipanas. A elevação `a categoria de Vila ocorreu e 1699, com a criação das primeiras vilas. Na capitania de Sergipe após a instalação da comarca em 1696. O governador geral D. João de Lancastro, determinou ao ouvidor Dr. Diogo Pacheco Pereira: “é porque me dizem que no porto da Contiguiba se pode fazer uma vila. Vossa Mercê mandará a casa da câmara dessa cidade, os oficiais dela com as principais pessoas desse povo, para que com toda ponderação, veja se o dito porto é capaz de forma-se nela a dita vila”.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O DOMÍNIO MILITAR EM SERGIPE





                                                                                        texto: Ibarê Dantas
fotos: Adailton Andrade

Pelo menos desde março de 1963, a estratégia política do governo Goulart vinha revelando-se desastrosa. As reações da maioria dos congressistas, impedindo a institucionalização das reformas, levou-o a buscar o apoio de determinados grupos mobilizados da sociedade civil (CGT, FMP, UNE) que, aliás, desconfiavam de suas ações, exigindo, inclusive, definições prévias.







Promovendo greves sucessivas, nem sempre justificáveis, discursos triunfantes e/ou insolentes, as lideranças mais açodadas proporcionavam pretextos para que as forças de direita desenvolvessem a luta ideológica, falassem de guerra revolucionária e acelerassem as conspirações. A idéia de comícios monstros ainda mais atemorizou os conservadores (civis e militares), levando-os a articulações cada dia mais amplas. Velhos políticos, com projetos divergentes, como Ademar de Barros e Carlos Lacerda, juntaram-se com o fim do que denominavam de "combater o caos". As bases políticas governistas tornaram-se mais precárias do que nunca com o afastamento do PSD, tradicional fiador do projeto populista. Na sociedade civil, entidades classistas patronais, grupos femininos (CAMDE), parte da Igreja Católica, imprensa, associações diversas, todos formaram a grande corrente de reação, sob a coordenação maior do IPES (Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais), soldando os setores militares e civis e acoplando-se aos interesses do grande capital interno e externo. As revoltas dos sargentos e dos marinheiros, de um lado, levavam alguns ao devaneio de estabelecer analogia com a Revolução Russa e, por outro, indispunham decisivamente as Forças Armadas com o movimento popular, diante da quebra de hierarquia. Confiante num sistema de informação e de segurança inepto e ineficaz, o governo, isolado e debilitado, não se dispôs a enfrentar as forças da reação. Num último discurso provocante, Goulart apressou a deflagração do movimento militar contrarevolucionário, que contou com o apoio expressivo de parte da sociedade civil, identificada na defesa da ordem e da propriedade.

sábado, 15 de maio de 2010

IBARÊ COSTA DANTAS - Doutor Honoris Causa


UFS 42 ANOS  NA SOLENIDADE  O HISTORIADOR E CIÊNTISTA POLÍTICO IBARÊ DANTAS RECEBE O TÍTULO DE   DOUTOR HONORIS CAUSA 

http://www.agencia.se.gov.br/noticias/leitura/materia:19497/governador_prestigia_homenagens_no_aniversario_de_42_anos_da_ufs.html


Para comemorar os 42 anos de existência da Universidade Federal de Sergipe (UFS), uma solenidade carregada de homenagens aconteceu na noite desta sexta-feira, 14, no auditório da reitoria. Ex-aluno da instituição, onde se formou em Direito e presidiu o Diretório Central de Estudantes (DCE), o governador Marcelo Déda prestigiou o evento, mesmo após cumprir uma agenda repleta de atividades no interior do estado.
Em meio à programação, houve a condecoração do professor aposentado Ibarê Dantas com o título de doutor honoris causa, distinção máxima prevista no estatuto da Universidade – no ano passado, a mesma comenda foi concedida ao atual governador do Estado.

Fotos: Marco Vieira/ASN

IBARÊ COSTA DANTAS

Sob a lupa de Ibarê




 *Samuel Barros de Medeiros Albuquerque



Em meados da década de 1990, Ibarê Dantas iniciava silenciosamente suas investigações sobre Leandro Ribeiro de Siqueira Maciel, engenhoso político sergipano que viveu entre 1825 e 1909. Fruto dessas pesquisas, Ibarê acaba de lançar a obra “Leandro Ribeiro de Siqueira Maciel (1825/1909): o patriarca do Serra Negra e a política oitocentista em Sergipe” (Aracaju: Criação, 2009. 480 p).



quarta-feira, 5 de maio de 2010

HISTÓRIA DE ITABAINA PARA O CONCURSO

 HISTÓRIA CULTURAL, POLÍTICA E ECONÔMINA DE ITABAINA PARA O CONCURSO

artigo completo em anexo (leia mais )


Cidade da região do Agreste Sergipano, microrregião do Agreste de Itabaiana. Fundada em 1675, está a 188m de altitude, 54 Km distante de Aracaju e em 2007 o IBGE estima sua população em 81.826 habitantes. O clima é semi-árido e é conhecida como a Capital do Caminhão, pois tem o maior percentual de caminhões do Brasil (relação entre o n° de caminhões e o n° de habitantes). Campo do Brito, São Domingos, Ribeirópolis, Moita Bonita e Frei Paulo que são municípios, já foram distritos de Itabaiana. É a quarta maior cidade do estado, sendo superada por Aracaju, São Cristóvão e N. Senhora do Socorro, todas na região metropolitana de Aracaju.


domingo, 25 de abril de 2010

REVOLTA DA 13 DE JULHO



História de uma revolta esquecida!



São Paulo, 05 de julho de 1924 -  Sergipe, 13de julho de 1924

Marco do Movimento Tenentista em Sergipe

*Adailton dos Santos Andrade



Este trabalho visa dar uma interpretação da história criada nos levantes tenentistas, sobre o mito Augusto Maynard Gomes, reconhecer o papel dos demais oficiais que a historia sempre tratou como meros co-adjuvantes, os eventos que culminaram no levante de 1924,1926 e 1930 traz pelos pesquisadores e estudiosos dos movimentos revolucionários como figura central Augusto Maynard Gomes, mas, os fatos analisados na documentação pelo historiador Adailton Andrade, mostra que os demais oficiais foram muito mais que meros co-adjuvantes deste levantes de civismo que hoje recordamos, e no qual se destacaram as figuras valorosas Cap. Eurípedes Esteves de Lima; 1º Tenente Augusto Maynard Gomes, 1º Tenente João Soarino de Melo, 2º Tenente Manuel Messias de Mendonça que então serviam na brilhante unidade do 28º Batalhão de Caçadores.


domingo, 18 de abril de 2010

HISTÓRIA DOS MUNICÍPIOS SERGIPANOS

PRÓXIMA SEMANA AQUI,  RESUMOS DA HISTÓRIA DOS MUNICÍPIOS SERGIPANOS

EM BREVE !




AGRADEÇO PELA VISITA NO MEU BLOG

23.000 ACESSOS EM 7 MESES
OBRIGADO A TODOS !

domingo, 11 de abril de 2010

ROSÁRIO DO CATETE PODE TER NOVAS ELEIÇÕES

Matéria do blog da jornalista  Kátia Santana  sexta, 9 de Abril de 2010



Rosário do Catete pode ter novas eleições


Isso porque a Justiça cassou os mandatos do prefeito Etelvino Barreto e do vice, Alexsandro Araújo


O juiz Pablo Moreno Carvalho da Luz, da Comarca de Maruim, cassou ontem os mandatos do prefeito e do vice-prefeito de Rosário do Catete, Etelvino Barreto Sobrinho, o ‘Vino’ (PMDB) e o Alexsandro Araújo (PT), respectivamente.

Também atribuiu a ambos uma multa no valor de 35 mil Unidades Fiscais de Referência (Ufirs), equivalente a pouco mais de R$ 35 mil para cada um. Eles são acusados de abuso do poder econômico e compra de votos nas eleições de 2008.

quarta-feira, 24 de março de 2010

HISTÓRIA DO MUNICÍPIO DE RIACHUELO PARA O CONCURSO


Caracterização do Município de Riachuelo-Sergipe
Breve Histórico


Adailton


Riachuelo fica a 29 quilômetros de Aracaju. Historiadores afirmam que as primeiras informações sobre o município dão conta que aquelas terras, em finais de 1590, eram ocupadas pela família dos Pinto. O centro das atenções era o engenho do português Mesquita Pinto. E é assim que a localidade começa a ser conhecida. Por causa das terras extremamente férteis, e dos rios Sergipe, Cotinguiba e Jacarecica, os Pinto se transformaram em grandes produtores de açúcar, algodão e gado.



quinta-feira, 18 de março de 2010

ANULAÇÃO DO CONCURSO DE ROSARIO DO CATETE

AVISO
O CONCURSO DA PREFEITURA DE ROSÁRIO DO CATETE FOI ANULADO




SEPROD
SERVIÇO DE PROCESSAMENTO DE DADOS

Rua Marechal Bittencourt, 397, Centro – Alagoinhas/Ba – CNPJ 07.196.055/0001-68
Tel. (75) 3422-3042 – www.seprod.com.br



NOTA DE ESCLARECIMENTO


SEPROD-SERVIÇO DE PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA,

vem comunicar aos 9.474 candidatos inscritos ao Concurso Público do Município de Rosário do Catete, a suspensão dos atos do referido concurso, inclusive a prova escrita designada para o dia 28.03.2010, em cumprimento a ordem judicial proferida pela Exmª Srª Drª Juíza de Direito, ÉRICA MAGRI MILANI, nos autos da ação Civil Pública Nº 201074200092 proposta pelo Ministério Público do Estado deSergipe.A motivação da referenda ação e conseqüente fundamentação da decisão judicial, encontram-se disponibilizadas no site “www.tj.se.gov.br” através de consulta ao número do processo supra citado. Alagoinhas- Ba., 17 de março de 2010.


A DIREÇÃO
SEPROD

terça-feira, 16 de março de 2010

ARACAJU, A HISTÓRIA DA MUDANÇA DA CAPITAL

155 ANOS DE MUITA HISTÓRIA
(Texto de Luis Fernando Soutelo escrito em 1999)

Luiz Fernando R. Soutelo


Há exatamente cento e quarenta e quatro anos, completados a 17 de março de 1999, uma resolução da Assembléia Provincial elevava "o povoado de Santo Antônio do Aracaju à categoria de Cidade" e transferia para ele a capital da Província, até então situada na vetusta São Cristóvão, onde se instalara depois de outras localizações a principal povoação de Sergipe nos primeiros anos do século XVII.




MUDANÇA DA CAPITAL



MUDANÇA DA CAPITAL
JOÃO BEBE ÁGUA E SUAS HISTÓRIAS


*Adailton Andrade




Há aqueles que afirmam que João Bebe Água nasceu em são Cristóvão, porém indícios das investigações apontam Itaporanga D’ajuda (família Borges). Sabe-se, pelos registros, que o provável ano do seu nascimento foi 1823. O Filho do Capitão Francisco Borges da Cruz veio de uma família pequena, tendo apenas um irmão Silvério da Costa Borges. Casou-se aos 50 anos. Seu contemporâneo Serafim Santiago, no Anuário Cristovense, lembra: “já o encontrei viúvo”.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

HISTÓRIA DOS PREFEITOS DE ROSÁRIO DO CATETE


O HOMEM QUE TRANSFORMOU A EDUCAÇÃO
EM ROSÁRIO DO CATETE

JOSÉ MARTINHO XAVIER


adailton Andrade


Xavier assim como era conhecido em Rosário do Catete, e nos demais municípios do estado devido suas atividades profissionais, alem de prefeito exerceu varias outras atividades que contribuíram para o desenvolvimento do seu município, também é de conhecimento sua participação em diversos movimentos sociais e religiosos. Foi também dono de cartório e presidente de uma associação de caridade em Rosário do Catete, mas na qualidade de prefeito e de chefe político que deu maior visibilidade na carreira publica.
Xavier nasceu no antigo povoado Pedro Gonçalves, município de Rosário do Catete filho de Francisco Xavier das Chagas e dona Maria Marta de Jesus.foi aluno da conceituada professora Maria Rosa dos Santos isso logo no ano de 1933, concluiu o curso primário com outra professora Maria de Freitas Santos, anos depois conclui seu curso ginasial através do projeto Minerva, antigo curso Madureza.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

CÂMARA MUNICIPAL DE ROSÁRIO DO CATETE





CÂMARA MUNICIPAL DE ROSÁRIO DO CATETE




pesquisa: Adailton Andrade



RELAÇÃO DOS PRESIDENTES DA CÂMARA DE VEREADORES DE ROSÁRIO DO CATETE

HISTÓRIA DE SERGIPE PARA CONCURSO




A Revolução de 1930 em Sergipe



Adailton Andrade


Os anos que antecedem a revolução 1930 em Sergipe e que coincidem com os primeiros anos do regime republicano têm como principal característica à dominação de frações dominantes e oriundas do patronato rural composto principalmente pelos grandes produtores de açúcar, seguido de proprietários rurais oriundos da criação de gado ou cultura de exportação como o algodão. A primeira fase republicana é marcada pelo domínio da facção liderada pelo Monsenhor Olímpio Campos. Após a morte de Olímpio Campos o controle do poder é permutado entre lideranças tradicionais, como o General José Siqueira Menezes (1911-1914) , Oliveira Valadão (1914-1918) Coronel Pereira Lobo(1918-1922), Graco Cardoso (1922-1926) e Manoel Correia Dantas (1927-1930). Essa fase é marcada pela hegemonia do das classes patronais da onde inexiste praticamente a organização de classes operárias e subalternas. Trata-se de um período marcado pelo autoritarismo e pelo coronelismo conforme cita Ibarê Dantas "Os grupos oligárquicos que controlava a sociedade política sob a chefia de religiosos, civis e militares enquadrava-se na ideologia e nos interesses materiais da classe dominante, organizando-a sob a hegemonia da fração ligada ao açúcar". (Dantas. pág. 20). Apesar do predomínio das oligarquias, Sergipe ainda foi palco de alguns movimentos reformista, como: a Reação Republicana, o Movimento Tenentista em 1924, além da campanha da Aliança Liberal em 1926.



A Revolução de 1930 em Sergipe os Interventores



Por Luiz Antônio Barreto




O presidente Manoel Dantas elegeu seu sucessor na presidência do Estado, o comerciante Francisco de Souza Porto, experiente político oriundo do município de Nossa Senhora das Dores, por várias vezes deputado estadual, presidente da Assembléia, casado na família dos trucidados de Araraquara, episódio de violência da chamada República Velha, em São Paulo. Os revolucionários de 1930, no entanto, tiraram Manoel Dantas do Poder e não reconheceram a eleição de Francisco de Souza Porto, estabelecendo a política dos Interventores Federais, com plenos poderes no Estado.




sábado, 13 de fevereiro de 2010

PERFIL DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO CATETE





PERFIL DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO CATETE



ROSÁRIO DO CATETE
Adailton Andrade

PASSANDO POR REVISÃO..

HISTÓRIA DE ROSÁRIO DO CATETE






PREFEITOS DE ROSÁRIO DO CATETE



INÍCIO TÉRMINO NOMES
1905 1906 Manoel do Nascimento
1906 1907 Matias Curvelo de Mendonça
1908 1909 Alfredo Franco
1910 1911 José Curvelo de Mendonça
1912 1913 Pedro Ferreira de Barros
1913 1914 José Gomes da Cunha Sobrinho
1915 1919 Pedro Ferreira de Barros
1920 1922 Dr. Odilon Ferreira Machado
1923 1925 Padre Afonso Tojal
1926 1928 Antônio Soares Freire
1929 1930 Manoel da Silva Maynard
1930 1932 Salústio Vieira de Meio
1932 1933 Semeão Machado de Aguiar Menezes
1933 1934 Abílio Curvelo de Mendonça
1934 1935 João Machado Sobrinho
1935 1935 Polycarpo Diniz de Resende
1935 1935 Adalício Vieira de Menezes
1935 1937 Polycarpo Diniz de Resende
1937 1937 José Paes de Azevedo Sã
1937 1939 Polycarpo Diniz de Resende
1939 1939 Anfilófio Vieira de Azevedo
1939 1939 Ulysses Garcia da Rocha


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

CONCURSO PÚBLICO DE ROSARIO DO CATETE

em revisão !

link para o edital:

http//www.seprod.com.br

AS INSCRIÇÕES FICARÃO ABERTAS NO PERÍODO DE
09 A 26 DE FEVEREIRO DE 2010, DAS 8 ÀS 13H-SEGUNDA A SEXTA. LOCAL: MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO CATETE NA SEDE DA PREFEITURA MUNICIPAL, SITUADA NA PRAÇA CLODOALDO PASSOS, Nº38, CENTRO .

HISTÓRIA DE ROSÁRIO DO CATETE





quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

PRAÇA FAUSTO CARDOSO E SUAS HISTÓRIAS

HISTÓRIA E MEMÓRIA

PRAÇA FAUSTO CARDOSO E SUAS HISTÓRIAS

NA MEMÓRIA DE MURILLO MELINS

Murillo Melins (foto: Aldaci de Souza,Infonet )



*Adailton dos Santos Andrade


Murillo Mellins nasceu em Neópolis, antiga Vila Nova, em 22 de outubro de 1928. Filho do saudoso Mário Mellins Intendente de Neópolis (antiga Vila Nova) foi uma pessoa simples de um grande conhecimento dos fatos que marcaram a História da capital. Alguns chamam Murillo de memorialista, outros de pesquisador, outros de guardião da História de Sergipe onde puxa as lembranças da memória política e cultural da nossa gente.

domingo, 31 de janeiro de 2010

GETULIO VARGAS CHEGA A SERGIPE - 1950

“Campanha Presidenciável de Vargas em Sergipe em 29 de agosto de 1950”



(Vargas desembarcando em Aracaju para o grande comício na Praça Fausto Cardoso )




*Adailton dos Santos Andrade



Manchete de primeira pagina dos principais jornais de Sergipe tinham como principal manchete a presença do senador Getulio Vargas em Aracaju em campanha para presidente em 02 de setembro de 1950, com a presença do senador, candidato a re-eleição ao senado, Augusto Maynard Gomes. Getúlio levou o Estado a realizar grandes investimentos em infra-estrutura, ampliou os direitos trabalhistas com o objetivo de aumentar a massa salarial e buscou proteger a iniciativa empresarial nacional tornando uma série de atividades econômicas privativas de empresas organizadas no Brasil cujos titulares fossem brasileiros.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

ANTÔNIO GARCIA FILHO

HISTÓRIA DE ROSÁRIO DO CATETE
FILHOS ILUSTRES
* Por Luiz Antônio Barreto
.
Poucos homens construíram um perfil tão múltiplo, tanto na compreensão da realidade, quanto na criação de linguagens, como Antonio Garcia Filho, nascido em 1916 e falecido em 1999. Rosário do Catete não era apenas a terra de senhores de engenhos, de sobrenomes importantes na hierarquia endinheirada da região da Cotinguiba, (referência à Freguesia e não ao rio), era também um lugar de homens simples, como Antonio Garcia Sobrinho, misto de farmacêutico e funcionário público, chefe de uma prole de grandes vultos: Robério, Luiz, Carlos, José, Antonio, para falar apenas dos homens, que ganharam notoriedade em seus fazeres.