Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 15 de maio de 2010

IBARÊ COSTA DANTAS - Doutor Honoris Causa


UFS 42 ANOS  NA SOLENIDADE  O HISTORIADOR E CIÊNTISTA POLÍTICO IBARÊ DANTAS RECEBE O TÍTULO DE   DOUTOR HONORIS CAUSA 

http://www.agencia.se.gov.br/noticias/leitura/materia:19497/governador_prestigia_homenagens_no_aniversario_de_42_anos_da_ufs.html


Para comemorar os 42 anos de existência da Universidade Federal de Sergipe (UFS), uma solenidade carregada de homenagens aconteceu na noite desta sexta-feira, 14, no auditório da reitoria. Ex-aluno da instituição, onde se formou em Direito e presidiu o Diretório Central de Estudantes (DCE), o governador Marcelo Déda prestigiou o evento, mesmo após cumprir uma agenda repleta de atividades no interior do estado.
Em meio à programação, houve a condecoração do professor aposentado Ibarê Dantas com o título de doutor honoris causa, distinção máxima prevista no estatuto da Universidade – no ano passado, a mesma comenda foi concedida ao atual governador do Estado.

Fotos: Marco Vieira/ASN


Outro ponto alto do evento foi o reconhecimento da atitude corajosa do então reitor João Cardoso Nascimento Júnior, que em pleno Regime Militar, recusou-se a seguir uma imposição ditatorial exigindo a expulsão de 36 estudantes acusados de promoverem protestos contra o governo vigente. A postura do reitor garantiu uma pena mais branda aos alunos: ao invés de serem expulsos, foram ‘apenas’ impedidos de serem líderes ou dirigentes estudantis.

Fotos: Marco Vieira/ASN


Dessa forma, as três portarias (29, de 1969, e 28 e 76, de 1970) responsáveis por tais punições acabaram revogadas durante a solenidade e João Cardoso Nascimento Júnior recebeu uma moção de reconhecimento in memoriam. Antes disso, os estudantes que tiveram seus direitos preservados à época também foram lembrados.



“É um momento rico de simbolismos e sobretudo um momento de justiça histórica. A Universidade Federal de Sergipe revoga portarias que simbolizavam, no seu acervo de atos, um momento em que a liberdade de expressão foi criminalizada e em que lutadores da liberdade tiveram ameaçado o seu próprio direito de continuar estudando”, ressaltou Marcelo Déda.



Segundo ele, as homenagens prestadas pela UFS representam um reencontro pleno da maior instituição de ensino superior de Sergipe com sua tradição democrática. “Um momento também de prestar homenagens àquela geração de 68, uma geração tão rica na luta, tão rica no amor, tão rica no idealismo. É, sem dúvida, uma noite belíssima, carregada de simbolismo”, complementou.



Doutor Honoris Causa



Grande homenageado da noite, o professor José Ibarê Costa Dantas nasceu no município de Riachão do Dantas, em 1939. Formou-se na UFS em História e fez Mestrado em Ciências Políticas pela Unicamp. Na Federal sergipana ainda lecionou entre os anos de 1970 e 1994, seja na graduação ou pós-graduação. Autor de oito livros e referência para diversos autores, Ibarê recentemente presidiu o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGS).



Ao falar sobre a comenda, ele disse que a vê como “uma grande honra para um professor que produziu sem visar compensações, que chega ao ocaso da vida e recebe uma homenagem dessa natureza. Então, é uma satisfação, mas sobretudo uma honra pessoal e que sirva de estímulo também para os pesquisadores, para os professores da universidade”, pontuou.
Outras homenagens



Com a medalha do mérito universitário foi homenageado o professor Manuel Bernardino Lino Salvador, que faleceu em novembro de 2009, aos 61 anos. Bernardinho ingressou na UFS em 1978, ensinou no Departamento de Matemática, foi diretor do CPD e trabalhou na implantação do sistema de informática do Centro de Educação Superior a Distância (Cesad).
Por terem alcançado posições eminentes na pesquisa ou no ensino, os professores aposentados Agamenon Guimarães de Oliveira, Antonino Campos de Lima, Gonçalo Ferreira Melo, Maria Edma de Barros e Maria Giovanni dos Santos Mendonça foram agraciados com o título de professor emérito.



Já na área administrativa, em alusão às suas trajetórias na UFS, os técnicos Ana Joelina de Jesus Brandão, Elma Passos Gabillaud, José Willami Santos, Libório Firmo de Castro Silva e Maria Jane dos Santos receberam placas comemorativas.



Para o reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho, a noite foi gratificante, com homenagens mais que merecidas. “A Universidade faz isso anualmente por ocasião de seu aniversário. Faz parte do engrandecimento da instituição reverenciar sua memória. Uma universidade é construída de memória, de acúmulo, de reflexão acerca das experiências vividas”, concluiu.



Presenças
Entre os presentes à solenidade estava o deputado federal Jackson Barreto, que foi um dos 36 alunos da UFS perseguidos pela Ditadura à época. Também compareceram o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, a deputada estadual Ana Lúcia, o presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Emmanuel Nascimento, o presidente do Banese, Saumíneo Nascimento, e o secretário de Estado da Casa Civil, Oliveira Júnior.

__________________________________
FONTE:
http://www.agencia.se.gov.br/noticias/leitura/materia:19497/governador_prestigia_homenagens_no_aniversario_de_42_anos_da_ufs.html