Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

HISTÓRIA POLÍTICA DE ROSÁRIO DO CATETE



ALOÍSIO DANTAS DE MENDONÇA


PREFEITO DE ROSÁRIO DO CATETE NO
PERÍODO DE 1964 A 1967


Adailton Andrade



Nasceu no dia 1º de abril de 1916 no engenho Ilha, município de Rosário do Catete-Sergipe. Filho de Abílio Curvelo de Mendonça e dona Josefina Gomes Dantas, seus avós paternos foram Mathias Curvelo de Mendonça e dona Ermida Joaquina da Silva Mendonça (proprietários do engenho Ilha); seus avós maternos Manoel Gomes Dantas e dona Josefa Cecília Gomes Dantas (proprietários do engenho Aruarí município de Santo Amaro das Brotas).


Fez o curso primário com a professora Dalva Bonfim Campos em Rosário do Catete. Logo cedo se dedicou ao comércio permanecendo neste ramo por 43 anos consecutivos, aposentando-se pelo sistema previdenciário do INSS.
Do lado paterno quase toda a família (o avó, pai, primos, tios) teve ingresso na vida política. Aloísio Dantas nunca demonstrou interesse pela política, porém como não se foge do destino e tradições familiares e para não causar ressentimentos a um grande amigo, o Sr. Herberto Vieira de Melo, aceitou o convite para ser candidato a vereador do seu município. Obteve nas urnas uma grande expressão de votos, 287 votos sendo o mais votado de todos os candidatos naquela eleição sem pedir nas ruas um voto, para aquela época.
Foi Presidente da Câmara dos vereadores de Rosário do Catete de 1963 a 1964, quando apurado as investigações nas contas da prefeitura na gestão do Sr. Osório Vieira de Melo algumas irregularidades foram encontradas, com isso o prefeito foi deposto. Deste modo, o presidente da comissão apuradora capitão Rosalvo Machado juntamente com o Promotor de Justiça Dr. José Dias, faz o convite para que ele assuma a Prefeitura Municipal, período que o Brasil estava passando pelo “Golpe de 1964”.
Apesar das dificuldades financeiras da prefeitura Aloísio Dantas fez grandes realizações. Em apenas dois anos e meio fez a quitação do débito de 28 anos com o INSS permitindo os funcionários usufruir da aposentadoria e outros benefícios; construiu o Cine Teatro que leva o nome do seu pai em homenagem “Abílio Curvelo de Mendonça” dando incentivos aos jovens para desenvolver as suas habilidades artísticas; fez a mudança de todos os postes de luz que antes eram de madeira pelos de cimento em toda a cidade; restaurou e ampliou o cemitério da cidade no povoado Marcação, hoje município de General Maynard; colocou luz elétrica ampliando a quantidade de transformadores; reformou a escola Máximo Maciel; fez a restauração do mercado e do talho de carne e melhorou as estradas principais do município. Disse com alegria que lembrava e sentia mais orgulhoso das melhorias que fez nas casas das pessoas pobres e carentes e da construção de pontes o que tornou a vida dos seus munícipes cada vez melhor.
Ao entregar a prefeitura ao seu sucessor José Augusto Cabral Melo deixou nos cofres públicos uma quantia de 10.000,00 (dez mil) cruzeiros depositada no Banco do Brasil e no Banco Dantas Freire em Aracaju.
Aloísio Dantas, que guarda na memória a historia dos grandes homens do passado histórico de Rosário do Catete, é um exemplo de honestidade a ser seguido pelos administradores, pois mesmo com toda a dificuldade soube com maestria conduzir seu município para os dias de hoje.



atual residência do Sr. Aloísio Dantas andar superior do sobrado

Em conversas com seu Aloísio ele lembra a situação do país, a situação do seu estado; os discursos eloqüentes de Seixas Dória; das eleições de 1960 onde seu conterrâneo Leandro Maciel (liderança udenista) que tinha governado o Estado teve seu nome indicado para companheiro de chapa de Jânio Quadros como candidato a vice presidente da República; de Aracaju recebendo caravanas de políticos da UDN. Relembra do seu primo Augusto Maynard Gomes um homem voltado para a Revolução; conta sobre a gestão de outro conterrâneo Luís Garcia que construiu a rodoviária (conhecida hoje como rodoviária velha) no centro da cidade; também criou o IPES; Banco do estado de Sergipe ajudou a implantar em Sergipe A UFS, traz para Sergipe a Petrobras , etc...
Com seus 93 anos vive nas lembranças dos bons tempos e dos tumultuados também. Não sai de casa, mas lê os jornais, escuta os noticiários mostra-se um homem bem informado com uma lucidez de fazer inveja a qualquer jovem.
Mais um personagem da História do seu município que ajudou a construir e educar seu povo. Um filho ilustre que traz nas veias o sangue da política.


_______________________
dados do Autor:
* Licenciado em História , Pós Graduado em Ensino Superior em Historia , membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, membro dos Grupos de Estudo e Pesquisa da UFS: Estudo do Tempo Presente / UFS. Grupo de Estudos e Pesquisas em História das Mulheres (UFS / CNPq).
E-mail: adailton.andrade@bol.com.br.