Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 18 de março de 2012

SERGIPE NA REPÚBLICA

PERÍODO REPUBLICANO
1. A OLIGARQUIA OLIMPISTA (1900-10):
No inicio do século XX, a política sergipana registra dois partidos majoritários:  Partido Republicano de Sergipe: cabaús. Partido Republicano Sergipense: pebas.
• Olimpio Campos: tendo conseguido impor-se sobre os velhos políticos como líder dos cabaús, o Monsenhor Olímpio Campos
foi presidente do Estado, indicou os seus sucessores no governo, influiu poderosamente na eleição de deputados elegeu-se senador.  Nos municípios também eram eleitas sempre pessoas ligadas ao Monsenhor e os empregos públicos eram distribuídos entre os seus correligionários.  Manteve controladas as classes subalternas através do esquema de poder e repressão, apoiado pelos coronéis. Procurou contentar as classes dominantes, principalmente aos senhores de engenho, com um plano de recuperação da economia açucareira.
Revolta de Fausto Cardoso (1906): Definição: Golpe para derrubar o governo olimpista. Motivos: − A longa permanência dos olimpistas no poder.  A formação de um grupo mais radical da oposição. A criação do Partido Progressista: oposição radical ao olimpismo. − causa imediata: a visita, pela primeira vez depois de eleito, do deputado federal Fausto Cardoso. + O Movimento:  No dia 10.08.1906, um contingente da Polícia Militar tomava o Palácio do Governo e depunha o presidente
Guilherme Campos. Formou-se um novo governo com membros (camadas médias urbanas) do Partido Progressista. O movimento começou em Aracaju, mas espalhou-se por Maruim, Itabaiana, N. S. das Dores, Laranjeiras, Rosário, Itaporanga, Propriá, Divina Pastora, Capela, Riachuelo e Japaratuba.  A Intervenção Federal: Em 28.08.1906, o governo federal enviou uma força interventora para Sergipe, que depôs os progressistas,
retomou todas as sedes municipais e repôs o olimpista Guilherme Campos na presidência do Estado. Fausto Cardoso foi assassinado durante os embates militares da intervenção.
Dois meses depois, os filhos de Fausto Cardoso assassinaram Olimpio Campos no Rio de Janeiro.
2. O GOVERNO GRACCHO CARDOSO (1922-26):











Fazia parte do grupo político que dominou Sergipe de 1910 a 1930: o PRC (Partido Republicano Conservador).  procurou modernizar a capital e atingiu em certa medida o interior do Estado: Saneamento. Abastecimento de água.  Urbanização e embelezamento.  Construção de estradas, pontes e escolas no
interior.
• Revolta de 13 de Julho (1924): Movimento tenentista em Sergipe que promoveu a deposição de Graccho Cardoso aderindo à revolta movida em São Paulo para depor o presidente da república Artur Bernardes. Motivos: A crise política vivida pelo Brasil em âmbito nacional.  a presença no 28º BC de oficiais implicados na revolta do Forte de Copacabana (RJ): foco de propaganda do antibernardismo ® oposição ao Governo Federal.  causa imediata: a participação de tropas do 28ºBC na deposição do governo baiano J. J. Seabra, indignou os oficiais sergipanos, que se sentiram instrumentos da política vingativa e arbitrária do Presidente da República. O Movimento: os militares depuseram Graccho Cardoso e tomaram as cidades de Aracaju, Carmópolis, Rosário, Japaratuba, Itaporanga e São Cristóvão.  Repressão Federal:Os militares foram violentamente derrotados pelas
forças militares e pelas tropas formadas pelos“coronéis” sergipanos. Conseqüências: a violenta repressão gerou grande descontentamento e dividiu a sociedade sergipana em vencidos e vencedores. Desgastou o governo de Graccho Cardoso e o tornou cada vez mais submisso ao Governo Federal e aos “coronéis”.
• Revolta de Augusto Maynard (19.01.1926):
Motivos: A repressão aos movimentos tenentistas. A passagem da Coluna Prestes pelo Nordeste  O Movimento: Fugindo da prisão, o tenente Augusto Maynard Gomes, comandou uma operação que a partir do controle do 28ºBC, tentou tomar o Quartel de Polícia e depor o governo.A Repressão:Graccho Cardoso mobilizou as forças legais ao governo: Augusto Maynard foi ferido e os tenentes pediram rendição.
3. A REVOLUÇÃO DE 30 EM SERGIPE:
Sergipe não se incorporou dessa vez desde os primeiros momentos à revolução. em 16.10.1930, o manifesto de Juarez Távora e as tropas revolucionárias foram recebidas festivamente na cidade. Augusto Maynard foi indicado como Interventor
Federal de Sergipe.
4. O GOVERNO DE SEIXAS DÓREA (1962-1964):
Incorporou-se à luta pelas reformas de base do presidente João Goulart.Participou do comício do 13 de maio no Rio, no qual anunciou a realização da reforma agrária para Sergipe. Essas atitudes provocaram inquietação nos grupos conservadores. O golpe militar de 31 de março de 1964, que derrubou João Goulart, também depôs Seixas Dórea.

______________________________________
7. BIBLIOGRAFIA:
O presente texto é composto por transcrições textuais
de: AGUIAR, Fernando. Pré-História de Sergipe. Apostila. Apostila Cultura Sergipana para Concursos. Ed. Aspas .Textos e fotos extraídos do site UFS-PAX-MAX. Textos extraídos do site Infonet-Cidades de Sergipe. Jornal da Cidade, Aracaju, 7-8 nov. 1999. Caderno Cidades, p.4. .DINIZ, Diana M. F. Leal (coordenadora). Textos para a História de Sergipe. UFS. 1991.
7.Informe UFS, São Cristóvão, n.242, p.4-5,21 out.
1999, Francisco José Alves. Aracaju (SE)