Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 23 de março de 2011


PERFIL DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO DO   CATETE  
ROSÁRIO
Adailton Andrade


Breve  Histórico

A freguesia de Nossa Senhora do Rosário do Catete  foi criada em 03.02.1831. Passou a município pela Lei provincial de 12.03.1836,  com a mesma designação. Passou à cidade pelo Decreto n.º 118, de 12.07.1932. Por  Decreto-Lei nº 377, de 31.12.1943, tomou a atual designação Não fossem os  vendedores de milho, o viajante que corta a BR-101, de Aracaju a Propriá,não se  perceberia a entrada de Rosário do Catete. Quem passa por ali jamais imagina que  aquelemunicípio já foi um dos mais importantes palcos da história de Sergipe.Foi  em terras de Santo Amaro  que nasceu João Gomes de Melo, o Barão de Maruim. Mas hoje estas estrras estao localizadas no municipio de Rosario. O Barão nasceu em 1810 Rosario nasceu em 1836 daí quando o Barão nasceu a vila de Rosario ainda nao existia Falam que em Rosário foi assinada a ata de mudança da capital de São Cristóvão para Aracaju. esta infoemação nao se tem comprovação já que a documentação oficial diz só que foi no engenho Unha de Gato, mas o Barão tinha 4  engenhos com este mesmo nome e o de Rosario era um dos menores, daí, ele morava na Santa Barbara e nao na Unha do gato.

Saíram de lá, Maynard Gomes, Leandro Maciel e Luiz Garcia, todos governadores de  Sergipe, além de inúmeros políticos, juristas, professores e músicos. Rosário é  pura história. E essa história começa em 1575, quando da primeira tentativa de  conquista de Sergipe por Luiz de Brito, governador da Bahia. É a referência mais  antiga. Bem próximo ao local em que a atual cidade se encontra, existia uma  aldeia de índios. Eles viviam às margens de um rio e sob o comando do índio  Siriry. Historiadores dizem que o exército de Luiz de Brito não conseguiu vencer  os índios. Mas em 1587, os invasores europeus, comandados por Cristóvão de  Barros, retornaram e arrasaram com a resistência. Siriry não se rendeu ao fogo  dos soldados nem à cruz dos jesuítas, e acabou sendo morto em luta. Aos  vencedores, Cristóvão deu terras. Em 9 de abril de 1590, ele passou para seu  filho, Antônio Cardoso de Barros, o território que ficava entre os rios  Cotinguiba e São Francisco. Rosário estava dentro dessa faixa. Depois de sua  morte, as terras foram repassadas. Boa para a plantação de cana-de-açúcar, essa  cultura se instalou com força. Não existe uma data, mas se sabe que um grupo de  negros que trabalhava nos engenhos encontrou uma imagem de Nossa Senhora do  Rosário numa das matas da região. Ela teria sido deixada pelos jesuítas. O  proprietário do Engenho Jordão, Jorge de Almeida Campos, acabou doando terreno e  uma capela foi construída e colocada a imagem da santa. Nasce, então, a Aldeia  de Nossa Senhora do Rosário. A povoação rosarense crescia tanto que, por volta  de 1828, a Câmara de Santo Amaro resolveu transferir para Rosário a sede do  município de Maruim. Os habitantes de Santo Amaro e Maruim declararam guerra  entre si.

O Governo da província acabou intervindo e  ratificando a decisão da Câmara de Santo Amaro. De uma canetada só, a povoação  de Rosário do Catete passava à freguesia, vila e sede de município. Mas isso  durou pouco. As reações de Maruim foram fortes. Em 3 de fevereiro de 1831,  Rosário volta a pertencer a Santo Amaro, mas não como povoamento, e sim, como  Freguesia de Nossa Senhora do Rosário. Cinco anos depois, ela se tornava Vila de  Nossa Senhora do Rosário do Catete. Nada, de oficial existe para explicar o nome  Catete, mas existem indícios fortes. Catete é uma espécie de milho comum na  região. Catete vem de caititu (Tupi-Guarani) que quer dizer “porco do mato”,  animal encontrado naquelas terras. Catete significa reduto de escravos  (em Rosário eles eram milhares). E catete era nome de um dos engenhos do  Barão de Maruim. Em 12 de julho de 1932, Rosário do Catete era elevada à  categoria de cidade.

Análise da Situação Atual

A  expansão da cultura da cana vem tomando o espaço da pecuária de corte e leite,  sendo que este no momento atual possui um rebanho totalizando 5.500 cabeças. No  município antigas propriedades que já foram canaviais estão retornando a  atividade, haja visto o maior retorno econômico, e todo investimento das  políticas publicas voltada para a produção de bicombustíveis para exportação.
Nesse município temos a presença da Companhia Vale do Rio Doce “VALE” denominada  assim  atualmente, que é responsável pela extração do Cloreto de Potássio,  importante fertilizante, fonte de potássio para as plantas, vale ressaltar que  esta mina é única no hemisfério sul do planeta. No município encontramos a Fazenda Comunitária, na qual a Prefeitura cedeu a posse de pequenos lotes a  muitos agricultores, que exploram principalmente a pecuária, suinocultura,  ovinocultura, criação de galinhas caipira, e no período das festas juninas,  colhem o milho verde, uma das mais importantes fonte geradora de renda para  esses pequenos agricultores familiares, que em maioria comercializam diretamente  a produção,nos festejos Juninos do município. No povoado Siririzinho,  encontramos como principais atividades o artesanato, crochê, bordados, e como  principal atividade agrícola tem-se a cana de açúcar explorada por grandes proprietários de terras entre eles o Grupo Samam, e também temos em menor escala  a cultura da mandioca, explorada em regime de subsistência, em regime de  arrendamentos não oficializados, o que dificulta o acesso ao Credito  Rural.

Outro fato curioso nesse município é a tentativa de mudança de  nome. Na gestão do prefeito Otacílio Vieira de Melo, em 1945, apareceu a idéia  de mudar o nome da cidade de Rosário do Catete para Marynardina. Alguns diziam  que o prefeito queria homenagear o filho mais ilustre, Augusto Maynard Gomes,  que foi general do Exército, interventor, duas vezes senador e até governador de  Sergipe. Mas os opositores revelam uma história nada convencional. Alguns diziam  que Mary era uma amante que o governador mantinha no Rio de Janeiro e em sua  homenagem daria o nome à cidade. Graças à resistência de intelectuais como João  Moraes, José Paes, Sebrão Sobrinho e Polycarpo Diniz, a mudança do nome não foi  efetivada. No final de 1854, o Barão de Maruim era vice-presidente do Estado. Um  homem de grandes influências nacionais. Por conta do porto (escoamento dos  produtos), o barão queria que a capital saísse de São Cristóvão e foi  transferida para Aracaju. Numa manhã, o Barão de Maruim, um dos homens mais  ricos do Estado, convocou todos os deputados para comparecer em seu Engenho Unha  do Gato, NÃO SE SABE O QUAL ? Porque existiram varios  e o documento nao diz o qual . O Barao usou  dinheiro,( mesalão ) seu poder de convencimento foi
total. No Unha do Gato, o barão instalou a Assembléia Provincial e os deputados  votaram pela transferência da capital de São Cristóvão para Aracaju. Por ordem  de um mensageiro, o barão pediu que o presidente do Estado, Ignácio Joaquim  Barbosa, fosse ao Engenho Unha do Gato sem comunicar a ninguém, e lá assinou a  transferência da capital. Essa ata de mudança existe até hoje em mãos de  historiadores. Além da política e da área jurídica, Rosário do Catete também é  terra das bandas de música. A primeira deque se tem notícia é de 1906. Era  chamada de Coração de Maria e apelidada de “Injeitada”. Seus mestres foram o  padre Antônio Garcia, Otacílio Paiva e Antônio Bonfim, entre outros. Em 1923  surge a banda Santa Cecília, mais conhecida como “Barriguda”. A curiosidade é  que entre seus mestres estava Polycarpo Diniz de Rezende, que foi sete vezes  prefeito de Rosário do Catete.

Outro fato curioso nesse município é a tentativa de mudança de nome. Na gestão do prefeito Otacílio Vieira de Melo, em 1945, apareceu a idéia de mudar o nome da cidade de Rosário do Catete para Marynardina. Alguns diziam que o prefeito queria homenagear o filho mais ilustre, Augusto Maynard Gomes, que foi general do Exército, interventor, duas vezes senador e até governador de Sergipe. Mas os opositores revelam uma história nada convencional. Alguns diziam que Mary era uma amante que o governador mantinha no Rio de Janeiro e em sua homenagem daria o nome à cidade. Graças à resistência de intelectuais como João Moraes, José Paes, Sebrão Sobrinho e Polycarpo Diniz, a mudança do nome não foi efetivada. No final de 1854, o Barão de Maruim era vice-presidente do Estado. Um homem de grandes influências nacionais. Por conta do porto (escoamento dos produtos), o barão queria que a capital saísse de São Cristóvão e foi transferida para Aracaju. Numa manhã, o Barão de Maruim, um dos homens mais ricos do Estado, convocou todos os deputados para comparecer em seu Engenho Unha do Gato, em Rosário do Catete. Usando dinheiro, seu poder de convencimento foi total. No Unha do Gato, o barão instalou a Assembléia Provincial e os deputados votaram pela transferência da capital de São Cristóvão para Aracaju. Por ordem de um mensageiro, o barão pediu que o presidente do Estado, Ignácio Joaquim Barbosa, fosse ao Engenho Unha do Gato sem comunicar a ninguém, e lá assinou a transferência da capital. Essa ata de mudança existe até hoje em mãos de historiadores. Além da política e da área jurídica, Rosário do Catete também é terra das bandas de música. A primeira deque se tem notícia é de 1906. Era chamada de Coração de Maria e apelidada de “Injeitada”. Seus mestres foram o padre Antônio Garcia, Otacílio Paiva e Antônio Bonfim, entre outros. Em 1923 surge a banda Santa Cecília, mais conhecida como “Barriguda”. A curiosidade é que entre seus mestres estava Polycarpo Diniz de Rezende, que foi sete vezes prefeito de Rosário do Catete.


I- Informações  Gerais

- Prefeito eleito (2009- 2012): Eltevino Barreto
-
Distância para Aracaju: rodovia: 37 km; em linha reta: 24 km
- Área: 101,5
km²; participação na área do Estado: 0,46 %
- Municípios limítrofes:
Carmópolis, Capela, Siriri, Divina Pastora, Maruim, General Maynard, e Santo
Amaro das Brotas.
- Clima: precipitação média anual: 1.400,0 mm;  temperatura media anual: 26,0 ºC
- Vegetação: capoeira, caatinga, mata,  campos limpos e sujos
- Divisão por bacia hidrográfica rio Sergipe: 0,3
km² ( 0,3 %)
rio Japaratuba 101,2 km² ( 99,7 %)
- Área pertencente ao
polígono das secas: 0,0 %

II- Principais Recursos Hídricos  Existentes
- Cacimbas familiares
- Lagoa: Capim Açu, da  Marreca, do Cipó, do Patinho, Serra Negra e do Cachorro
- Nascentes:  minadouros diversos, Minante Poço Quente  Poços tubulares: Veja item IV -  Rio: Sergipe, Siriri, Mocambo, Riachão, Siriri Morto  Riacho: da Várzea, Sem  Nome, das Pedras, Bernardo, Bueiro.

III- Fontes de Abastecimento
dos Principais Núcleos Residenciais (2002)
 Sede Municipal: água  encanada fornecida pela DESO, tendo como área de captação o Minante do Poço  Quente - Siririzinho: água encanada proveniente do Riacho Bernardo -  Tamandaré: água encanada proveniente do Minante Poço  Quente
-
V- Principais Problemas Ambientais e de Recursos
Hídricos (2002)


- Lixeira a céu aberto, localizada no entorno da  sede municipal. - Poluição do rio Siriri por esgotos sanitários. Degradação de algumas áreas agrícolas por efluentes provenientes da CVRD. -  identificação no município de focos de esquistossomose, por exemplo, cita-se a  Lagoa do Cachorro. - Supressão da mata ciliar dos rios e riachos. - Falta  de abastecimento de água em algumas comunidades e povoados do município. - Registram-se reclamações sobre a qualidade da água fornecida para a população,  sobretudo no período de chuvas, quando requer mais tratamento para a retirada de  sedimentos. - O rio Siriri apresenta-se bastante poluído, o que favorece a  mortandade da fauna aquática. - Necessidade de dragagem do Rio Siriri para  evitar enchentes.


Organizações sociais
1 Catete Velho Associação de Produtores Rurais  de Catete Velho 
2 - Sede Associação das  Costureiras
3 ― Associação de Moradores e Amigos da Cidade de Rosário do  Catete
4 ― Associação de Moradores da Rua da Ponte
5 ― Associação de  Moradores da Rua Santo Amaro
6 ― Associação de Moradores do Bairro  Vermelho
7 ― Associação de Moradores do Humberto Gomes
8 ― Associação de  Moradores Unidos da Rua da Ponte
9 ― Associação de Produtores de Milho de  Fazenda Catete Velho - Agromilho
10 ― Associação de Produtores Rurais do  Rosário do Catete
11 ― Associação Maria Rosa Vieira de Melo
12 ―  Associação Unidos da Rua da Ponte
13 ― Conselho da Criança e do  Adolescente
14 ― Conselho da Merenda Escolar
15 ― Conselho de Ação  Social
16 ― Conselho Municipal de Assistência Social
17 ― Conselho  Municipal de Educação
18 ― Conselho Municipal de Saúde
19 ― Obra Social  Nossa Senhora do Rosário
20 ― Sindicato dos Trabalhadores Rurais – STR
21  Siririzinho Associação de Moradores do Povoado Siririzinho
22 Tamandaré  Associação de Moradores e Amigos do Tamandaré



6 comentários:

  1. Gostei do site. Aqui encontrei informações difíceis de achar pela internet, incluindo o site da própria prefeitura de Rosário do Catete. Graças a vc, vou conseguir estudar a respeito. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. qual o numero de habitantes da cidade?

    ResponderExcluir
  3. " Cuidado com suas informações que confundem os rosarenses, pois quem realmente é filho de Rosário do Catete,desconhece alguns informações ditas por você."

    ResponderExcluir
  4. Olha, quanto a este comentário , só posso dizer que quem é realmente de Rosário e "estuda", e gosta de lêr saberia sim estas informações, estas informações que aqui eu coloco estao nos documentos oficiais e nao no ouvir dizer.
    Uma pena que em Rosário mesmo existindo muitas pessoas formadas em história e as pessoas que se dizem conhecer a história da cidade nao escreve nada. nao sabe valorizar a sua história.
    Se estas informações deixam quem sao realmente filhos de Rosario confusos . só peço que estude... Pesquise, leia muito, visite os arquivos públicos, leia a biografia dos filhos inlustres da cidade, acho que depois disso, "estudando" nao vai mais ter duvidas, nem fazer confusao.

    Só estudando mesmo !
    deixa seu email ou contato para eu apresentar as fontes destes artigos, faço questao disso..
    abraços

    ResponderExcluir
  5. MUITO OBRIGADO A TODOS
    INFORMO QUE DESDEO DIA DO CONCURSO ATÉ HOJE,ACESSARAM O BLOG MAIS DE 50 MIL PESSOAS.
    MAIS DE 400 EMAILS FOI ENVIADO AO PESQUISADOR ADAILTON SOLICITANDO INFORMAÇÕES.

    OBRIGADO A TODOS !

    ResponderExcluir
  6. Olá ! Boa Tarde
    Farei o concurso de rosário e necessito de algumas imformações sobre o município ,gostei muito de suas colocações,exalaram segurança .Diante da confiança que adiquirir pelo excelente profissioanl que parece ser peço-lhe encarecidamente que me envie informações referente a História, Evolução Econômica e Política e Aspectos Culturais do Município.Desde já .Grato!
    Jailton Neto
    e mail vieira_neto17@hotmail.com

    ResponderExcluir