Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 17 de abril de 2011

Getúlio Vargas em Sergipe em 1950

“Campanha Presidenciável de Vargas em Sergipe em 29 de agosto de 1950”



*Adailton dos Santos Andrade


Manchete de primeira pagina dos principais jornais de Sergipe tinham como principal manchete a presença do senador Getulio Vargas em Aracaju em campanha para presidente em 02 de setembro de 1950, com a presença do senador, candidato a re-eleição ao senado, Augusto Maynard Gomes. Getúlio levou o Estado a realizar grandes investimentos em infra-estrutura, ampliou os direitos trabalhistas com o objetivo de aumentar a massa salarial e buscou proteger a iniciativa empresarial nacional tornando uma série de atividades econômicas privativas de empresas organizadas no Brasil cujos titulares fossem brasileiros.





Dutra, ao contrário, abriu o quanto pôde as portas ao capital estrangeiro e buscou diminuir ao máximo a intervenção do Estado na economia, favoreceu as importações, o que levou ao esgotamento das reservas cambiais acumuladas no período anterior. Dutra restringiu o direito de greve, interviu em centenas de sindicatos e congelou o salário mínimo durante todo o seu governo. As diferenças eram tantas e tão profundas que não muito tempo depois da posse de Dutra, os dois políticos estavam completamente rompidos. “Tendo sido eleito pelo PSD, Dutra não admitia o apoio desse partido a Getúlio nas eleições de 1950. Apesar do PSD ter sido criado em 1945, por iniciativa de Getúlio através da ação do Governador de Minas, Benedicto Valadares, um dos seus mais próximos aliados, bem como do próprio genro de Getúlio, o Governador do Rio de Janeiro, Amaral Peixoto, o partido lançou a candidatura de Cristiano Machado”. As articulações em torno da candidatura de Getúlio nas eleições de 1950 tiveram início logo depois do Carnaval de 1949. Assim noticiava os principais jornais, de Aracaju,em 29de agosto de 1950, a chegada do senador Getulio Vargas, candidato a presidência da republica, para logo mais o grande comício na praça Fausto Cardoso. Mais de 60 mil pessoas assistem a chegada e ao grande comício. Vargas foi hospede do também senador na época Augusto Maynard Gomes, um cordial jantar foi servido com acertos e planejamentos para o retorno ao Palácio do Catete, tudo isso na presença do jornalista Samuel Wainer. O povo sergipano prestou a mais significativa homenagem ao eminente brasileiro, senador Getulio Vargas. Desde o campo aéreo até a residência do senador Augusto Maynard Gomes onde o grande líder trabalhista e sua digna comitiva, ficaram hospedados. Seguido de grupos de batedores bem adestrados, Vargas, que viajou tendo ao seu lado o seu grande e denodado amigo, o senador Augusto Maynard Gomes, chegou a avenida Ivo do Prado, residência da filha do senador Maynard, as 16 para as 18 horas, da noite O carro em que os ilustres senadores viajaram, foi de uso do capitalista marinho Tavares, que também em homenagem ao senador, foi o competente choufeur. Aracaju estava em clima de festa, o povo orgulhoso saldando uma das figuras mais importantes do cenário político republicano, uma multidão de mais de 60 mil pessoas, as homenagens começaram no campo de aviação até a Avenida Ivo do prado (rua da frente) a multidão andava de lada a lado, uma grande massa popular que já era um reflexo das eleições de 03 de outubro do corrente ano, uma grande demonstração o quanto os dois senadores eram queridos pelo povo de Sergipe. A família do senador Augusto Maynard, demonstrava apreço pelo seu mais ilustre hospede, bem mais de perto sentiu o senador Vargas, da estima que lhe devota o digno senador sergipano, com o qual ficou em contato constante. Nesta cama, que pertenceu anteriormente a minha querida tia (mamãezinha),dormiu na memorável noite de 24 de agosto de 1950, o maior dos brasileiros o senador Getulio Vargas. Depois do descanso, e das conversas de planejamentos, os senadores Getulio Vargas e Augusto Maynard Gomes, com os demais membros de sua comitiva, seguiram rumo ao local onde estava armado o palanque para a realização do grande e esperado comício. O comício foi aberto pelo senhor deputado Francisco Marcedo que falou muito e que, em face da premícia do tempo, foi cortado pela metade o seu discurso, mesmo assim, o deputado terminou dizendo que a grande massa popular de que, logo que o senador Vargas voltasse ao descanso que todos ficassem na praça, porque estaria disposto a falar até o amanhecer. Seguiram-se outros oradores como o Dr. Eronildes de Carvalho presidente do P.S.P. na seção de Sergipe, pronunciando um brilhante discurso. Vem logo depois o senador Maynard Gomes, cuja oração foi uma brilhante explicação de sua ação no senado federal, na constante defesa dos interesses de Sergipe, especialmente na abertura da nossa barra, com a apresentação de projetos e emendas que sempre foram ludibriados nas comissões e parando na cesta do Catete. Todos os sergipanos sabem perfeitamente da brilhante atuação do senador sergipano, no Senado Federal. Outros oradores usaram da palavra destacando-se o representante do governador Ademar de Barros e o deputado gaucho Dr. Ubirajara índio da Gosta, que saudou a mulher sergipana em nome da mulher gaucha. O senador Getulio Vargas, encerra dentro do delírio da multidão o grande comício, com seu discurso excepcional, estudando a vida açucareira de Sergipe, sua indústria, a agricultura, comércio, e prometendo a abertura de nossa barra. Convém notar de que o senador Getulio Vargas encerrou seu brilhante discurso sem indicar nem apoiar nenhuma candidatura a governança de Sergipe. Após o comício, os senadores Getulio Vargas e Augusto Maynard Gomes e comitiva, retornaram a residência á Avenida Ivo do Prado onde teve lugar com os demais convidados a realização do banquete que a honrada família Maynard oferecera ao futuro presidente da republica. Augusto Maynard com seu espírito democrático e fina educação social, convidou o deputado Macedo para tomar parte, ao qual não compareceu, porque tinha um banquete de 300 talheres para Getulio Vargas. O banquete correu dentro da maior normalidade. Pela manhã da quarta feira, a grande era a multidão que em frente a residência da família senador Maynard Gomes aguardava a partida do senador Getulio Vargas e comitiva, assim , as 8:50 aparecia o senador Getulio Vargas que era que era saudado pela grande massa popular. Momentos depois, o carro que era dirigido e de propriedade do capitalista Marinho Tavares, rumava para o campo aéreo onde em todo percurso da a sua passagem, o povo sergipano, ao chegar ao campo aéreo, mais de 3.000 pessoais recebiam o grande brasileiro que já em pé no avião, recebia inúmeros presentes do povo sergipano, que tinha a satisfação de pegar e beijar as mãos do senhor Vargas.

Antes da partida, o senador Maynard Gomes voltou ao avião onde em ultimas consultas com o candidato das forças populistas. Ao descer o senador Augusto Maynard Gomes, o deputado Araujo Macedo procurou falar no avião com o senador Vargas, o que não foi possível a sua despedida. Quem foi Vargas? Getúlio Dornelles Vargas é, com toda a certeza, um dos maiores nomes do cenário político brasileiro do século XX. Sua presença e força políticas atravessaram as décadas de 1920 a 1950, instalando-se como referência inquestionável após seu suicídio, em 1954. Durante essa longa trajetória, Vargas foi identificado por suas surpreendentes qualidades de estadista – coragem, sabedoria, ousadia, mas também por suas características de "homem comum", simpatia, malandrice, simplicidade, facetas que o aproximavam ao mesmo tempo dos grandes líderes de seu tempo e do povo brasileiro, o "seu" povo. Ficou conhecido como o "pai dos pobres", o protetor dos trabalhadores, mas também como o presidente em cujo governo trabalhadores foram presos, torturados e até mortos.





Depois de permanecer por 15 anos no poder, Getúlio Vargas retorna à presidência do país em 1950 ao contrário de certos personagens históricos dos quais é difícil encontrar fontes que expressem o pensamento, Vargas deixou-nos farto material escrito. O fato de estar quase sempre à frente dos acontecimentos, desde líder estudantil, na primeira década do século 20, até seu segundo governo, na década de 1950, possibilita que jornais e revistas constituam preciosa fonte de pesquisa, com entrevistas, artigos, opiniões, críticas, discursos reproduzidos na íntegra ou em excertos. O retorno triunfal Na campanha eleitoral de 1950, Vargas condenou a política econômica do Governo Dutra e prometeu acelerar a industrialização do país. Sustentado pela aliança entre o PTB e o PSP, obteve ampla vitória sobre Eduardo Gomes, da UDN, voltando à presidência da República em 1951. Na política desenvolvimentista que caracterizaria seu governo, o planejamento dos investimentos foi incentivado pelos trabalhos da Comissão Mista Brasil - Estados Unidos para o Desenvolvimento Econômico, de 1951 a 1953 e levou à criação do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico. Em setembro de 1951, o governo anunciava um plano qüinqüenal que previa a aplicação de milhões de dólares em projetos de infra-estrutura. Com a política cambial flexível, Vargas procurou incentivar as importações, necessárias ao desenvolvimento, fomentar os investimentos estrangeiros e aumentar a competitividade das exportações.

Paralelamente às medidas bem enquadradas no sistema financeiro internacional, Getúlio Vargas promoveu a industrialização, como prometera em sua campanha presidencial, com ênfase no apelo nacionalista. Em dezembro de 1951, propôs ao Congresso Nacional a criação da Petrobrás e, em abril de 1954, criava a Eletrobrás. Em dezembro de 1953, Getúlio Vargas afirmou que seus planos de criação da Petrobrás estavam sendo sabotados por empresas estrangeiras. Getúlio Vargas foi um homem do seu tempo - centralizador, na década de 1930, num momento em que até os Estados Unidos fizeram intervenção na economia. Na década seguinte, em 1945, obteve o reconhecimento popular, sendo eleito senador por dois Estados (Rio Grande do Sul e São Paulo ) e deputado federal por sete outros Estados. Em 1950, elege-se para a Presidência da República. Os jornais já publicava uma larga vantagem de Vargas em todo o Sergipe, como também a vitoria de Augusto Maynard Gomes para o senador da republica, exibido este resultado:
RESULTADOS DAS ELEIÇOES EM SERGIPE. PARA PRESIDENTE DA REPUBLICA:


VARGAS..................................... 3.477,812
EDUARDO GOMES................... 2.034.753

CHRISTIANO MACHADO........ 1.419.574
JOAO MANGABEIRA................. . ..13.197


PARA VICE PRESIDENTE:


CAFÉ FILHO..................................2.089.261
ODILON BRAGA ......................... 1.880.813

ALTINO ARANTES..................... .1.267.914
VITORINO FREIRE ...............--... 415. 719


Mandato · 1ª Fase - De 03/11/1930 a 20/07/1934, empossado pela revolução de 1930 como chefe do governo provisório. · De 20/07/1934 a 10/11/1937, eleito pela Assembléia Nacional Constituinte – Constituição de 1934. · De 10/11/1937 a 29/10/1945, chefe do Estado Novo, deposto em 29/10/1945. · 2ª Fase - De 31/01/1951 a 24/08/1954 · Suicidou-se em 24/08/1954 .

_______________________

*ADAILTON ANDRADE
Pesquisador, Licenciado em História, pós-graduado em Ensino Superior em História. Pós Graduando em Sociedade e Cultura Sergipana, aluno especial de mestrado em Ciências Sociais da Universidade Federal de Sergipe. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.Membro na qualidade de pesquisador dos Grupos de Estudo e Pesquisa da UFS: Estudo do Tempo Presente / UFS. Grupo de Estudos e Pesquisas em História das Mulheres (UFS / CNPq).GEMPS - Grupo de Estudos e Pesquisas em Memória e Patrimônio Sergipano. Professor da rede particular e Pública de ensino. Contato : adailton.andrade@bol.com.br fontesdahistoriadesergipe@bol.com.br ( 79 ) Estuda a região da Cotenguiba desde 2003, com recorte espacial em Maruim, Rosário, Santo Amaro,General Mayanrd e Carmopolis.

 _____________________________
Referências Bibliográficas:
DANTAS, Ibarê . Historia de Sergipe: republica (1889- 2000) . Rio de janeiro: Tempo Brasileiro, 2004 Jornal O Povo edição de 1950.